quinta-feira, 28 de maio de 2009

Salvem o Brasil!
---------------------------

Às margens do que era um rio...
algo foi dito, ou não dito.
_ E, o povo?
Não gritou, nem ouviu!
Se o tal Sol brilhou, ninguém viu.
***
_ A Liberdade, a igualdade, quimeras são?
Se é forte o braço, arrebenta o laço?
_ O braço é forte! Carrega o fardo!
O peito desafia o dia a dia...
***
O sonho é sonhado, ainda!
Amor e esperança... esperamos que desçam
à Pátria do cruzeiro, do cruzado, do real...
onde as nuvens negras escondem constelações.
***
Bronzeia-se, o gigante verde amarelo...
deitado ao Sol da América Latina.
Belo e forte, dentre os demais explorados
pelo mercantilismo civilizador de outrora.
***
_ São mais ricas as suas matas?
_ Cobiçadas, são! E, não as guarda!
Corta sem dó! Abrem pastagens e lavoras...
Transformam madeira em metal!
***
_ A justiça é forte? A paz futura chegou?
_ Do passado cantam supostas glórias...
E, aqui no tal futuro:
a Lei é assassinada pela impunidade.
***
Mas, é terra adorada, amada, querida...
ao menos de quatro em quatro anos,
quando as flâmulas esvoaçam à cada gol!
***
Salve! Salve!
Pátria amada, idolatrada...
Terra adorada!
Salvem o Brasil!
----::::----::::----::::----::::----
JULENI ANDRADE

quarta-feira, 13 de maio de 2009

13 de Maio...

A idéia de paraíso racial permanece quase que inabalada, ancorada na justificativa de que a mestiçagem resolveu os problemas das relações étnicas no Brasil. Permanece a confusão implantada que mistura os fatos biológicos, a mestiçagem, com os fatos políticos, a práticas de racismo. Dizemos que a mestiçagem não mestiçou as contas bancárias e nem as posses de terras e, portanto, não resultou em melhorias efetivas para a população negra. Os filhos nascidos da relação entre as escravizadas e os escravizadores continuaram escravizados. Esta é uma das marcas do conservadorismo brasileiro. A mestiçagem não deu motivo para o acesso à liberdade e à propriedade. Muito menos à dignidade humana roubada pelo escravismo criminoso.
(Henrique Cunha Júnior)
'Educar com Qualidade', acesse: http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=62368725&mt=7

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Dia das Mães

A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de "O Hino de Batalha da República".

Mas foi outra americana, Ana Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.

Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.

"Não criei o dia das mães para ter lucro"

O sonho foi realizado, mas, ironicamente, o Dia das Mães se tornou uma data triste para Anna Jarvis. A popularidade do feriado fez com que a data se tornasse uma dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para os que vendiam cravos brancos, flor que simboliza a maternidade. "Não criei o dia as mães para ter lucro", disse furiosa a um repórter, em 1923. Nesta mesmo ano, ela entrou com um processo para cancelar o Dia das Mães, sem sucesso.

Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. Dizia que as pessoas não agradecem freqüentemente o amor que recebem de suas mães. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.

Cravos: símbolo da maternidade

Durante a primeira missa das mães, Anna enviou 500 cravos brancos, escolhidos por ela, para a igreja de Grafton. Em um telegrama para a congregação, ela declarou que todos deveriam receber a flor. As mães, em memória do dia, deveriam ganhar dois cravos. Para Anna, a brancura do cravo simbolizava pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Durante os anos, Anna enviou mais de 10 mil cravos para a igreja, com o mesmo propósito. Os cravos passaram, posteriormente, a ser comercializados.

No Brasil

O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.
*¨>*¨>*¨>*¨>*¨>*
Texto compilado :http://www.portaldafamilia.org.br/artigos/texto026.shtml

sexta-feira, 1 de maio de 2009

FESTA DO TRABALHO

Maio, primeiro...
trabalho, dinheiro!
Mínimo, salário...
trabalho, horário!
Homem, mulher...
trabalho, fé!
-----
Requentada marmita...
Salário família!
-----
Trabalhador forte...
Vale transporte!
-----
Trabalho: ganha seu pão?
Vale refeição!
-----
Trabalho no campo...
Na fábrica, o trampo...
Na fila do emprego...
No bolso, desassossego!
----
Primeiro de maio,
Depois do “leão”...
Cresce a nação!
-----
País pra crescer...
Fermento no bolo...
Suor a descer,
Festa pro povo!
-----
JULENI ANDRADE

DESABAFO

O PANTANAL é simplesmente um espetáculo, essa foi minha quarta viagem pralá, e a segunda vez pra mesma regiao. Estive em PORTO INDIO ( fronteira com a BOLIVIA ), no RIO PARAGUAY, proximo de um POSTO DO EXERCITO BRASILEIRO.

Pescamos peixes como PACUS, PIAUS, PIAUÇUS, TUCUNARÉS, PIRANHAS ( estraga a pescaria pois sao muitas e nao tem predador ), e alguns pokos exemplares de DOURADOS, PINTADOS E CACHARAS.

Vimos muitos jacarés, um veado, pokos papagaios, pokas araras e algumas aves como ARANCUÂ ( que tem um canto exótico ), ANHUMAS, TUIUIU ( antigo JABURU ), GARÇAS, GAVIOES etc.

Naquela regiao tem algumas baias muito grandes e tivemos a felicidade de atravessarmos duas delas - GUAIVA e UBERABA ( sendo que esta baia, nao se consegue visualizar a margem oposta que dizem ter 30 kilometros ).

É com profunda tristeza que verifiquei que a quantidade de peixes grandes está diminuindo a cada ano que passa, causando preocupaçao com a reproduçao das espécies.

A minha opiniao é pra que se proibam a pesca predatória, permitindo tao somente a pesca esportiva ( ou seja - pesque e solte ), por 5 anos, na tentativa de se recompor a quantidade de peixes, e se for preciso que se renove por mais 5 anos, até atingirmos um numero razoavel de peixes no rio. Caso contrario, daqui a poko tempo nao mais teremos peixes no RIO PARAGUAY. Para se ter uma ideia eu contei no PORTO DE CORUMBÁ a existencia de 45 BARCOS HOTEIS ( iguais ao que eu me encontrava ) com capacidade para 12 a 108 passageiros. Calculei entre 800 a 1.000 pessoas por semana pescando só nesta regiao que multiplicado por 20 kg de peixe ( 10 kg + 1 exemplar que geralmente tem 10 kilos ) atinge a quantia de 20.000 kg por semana e 80.000 kg por mes - vou tomar folego - fora os pescadores profissionais que usam redes ( que é proibida ), os ribeirinhos, os moradores da cidade etc etc.

PERDOEM O DESABAFO, MAS O PEIXE VAI SUMIR - SE NAO TOMAREM PROVIDENCIAS !!!
´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´
( PAULO MAC INTYER )